Como criar discos espelhados no Windows Server 2003

Um dos recursos interessantes do Windows 2000 Server e superiores é possibilitar a criação de discos espelhados, RAID 0 e RAID 5. Para quem não tem placas RAID em seu servidor é possível aumentar a segurança gravando as informações em mirror ou em RAID 5. Outros recursos estão disponíveis  com criação de volumes Spanned ou Striped.

Neste tutorial é ensinado como criar RAID 1 ou mirror. Foi utilizado o Windows Server 2003, mas o mesmo procedimento se aplica a Windows 2000 Server e provavelmente ao Windows Server 2008.
Pré-requisitos
– Tenha certeza que você tem aplicado no seu servidor o último Service Pack e tenha backup de seus dados. Normalmente não deve haver nenhum problema, mas nunca se sabe…
– Você já tem 2 discos ligados no seu computador e um deles está sem nenhuma partição.

Procedimento

1 ) Logue no servidor com permissão de administrador. Vá Iniciar (Start), Painel de Controle (Control Panel), Ferramentas Administrativas (Administrative Tools) e Gerenciamento do Computador (Computer Management).
2 ) No painel da esquerda vá em Armazenamento (Storage) e Gerenciamento de Disco (Disk Management).
disk-management
3 ) Imaginando que você tem os backups atualizados deste servidor, clique com o botão direito no disk 0 e escolha Converter para dinâmico (Convert to Dynamic Disk) e siga confirmando para toda as telas conforme abaixo.
storage-management-1

storage-management-2
storage-management-2
storage-management-3
storage-management-4
storage-management-6
storage-management-7
4 ) Vai ser necessário reiniciar o computador para validar a alteração no disco de boot.
5 ) Repita a operação para o disk 1. Para o disk 1 não será necessário reiniciar o computador.
6 ) Depois de reiniciado, volte ao gerenciador de disco, escolha a partição que deseja espelhar. No caso será o disco que contém a partição C. Clique com o botão direito do mouse no disco C e escolha a opção Add Mirror
storage-management-8
7 ) Escolha em qual partição deseja espelhar o disco que contém a partição C. Neste caso só temos o disk 1, selecione-a e clique em Add Mirror.
storage-management-9
8 ) Por um tempo os dados da partição C serão replicados para o disk 1, ficando uma tela conforme abaixo:
storage-management-10
9 ) Depois de terminada a replicação, você pode fechar o Gerenciamento do Computador enquanto a replicação está sendo realizada, a situação ficará conforme abaixo:
storage-management-11
Isso dará uma segurança maior para o seu servidor em caso de falha de um dos discos, principalmente se seu servidor utiliza discos SATA.
Se você tiver recursos para adquirir uma placa RAID, é melhor do que utilizar RAID por software. Uma placa RAID possui um chip específico para realizar esta função. RAID por software, como é o caso deste procedimento, vai utilizar recursos da CPU da máquina e pode deixar tudo um pouco mais lento, principalmente se seu servidor fizer muito I/O de disco.
[ ]’s
Anúncios

Perguntas e Respostas sobre RAID

Publicado em:
09/01/2011

Fonte: www.technetbrasil.com.br

A tecnologia RAID inicialmente foi feito para servidores, no entanto, muitas placas-mãe SOHO (Small Office Home Office -> Pequenos escritórios ou usuário doméstico) do mercado já vem com um Chip RAID onboard. Mas, o que significa?

RAID significa Redundant Array of Independent Disks. Em bom português, significa Matriz Redundante de Discos Independentes. Apesar do nome ser complicado, o conceito é bem simples: fazer com que vários discos rígidos trabalhem como se fossem um só. Existem vários tipos de RAID, aqui citaremos os mais comuns:

RAID 0: Dois ou mais discos rígidos são agrupados. Os dados são gravados distribuindo-se a carga entre os discos que fazem parte da matriz (geralmente em blocos de 32kb ou 64Kb de dados). Este método não é muito seguro, já que se um participante da matriz falhar, todos os dados serão perdidos. No entanto, é o mais rápido, pois a leitura e gravação são distribuídas.

Cc716445.image002(pt-br,TechNet.10).gifRAID 1: Também chamado de espelhamento: um dos discos serve de espelho para o outro. Tudo que é gravado em um dos discos é gravado no outro. Isso faz com que a performance de gravação seja um pouco prejudicada, no entanto, a leitura dos dados é acelerada, já que temos dois discos lendo o mesmo arquivo. É uma forma bem segura, mas também a mais cara, sendo que apenas 50% do espaço disponível é aproveitado.

Cc716445.image003(pt-br,TechNet.10).gifRAID 5: Melhor relação custo x performance x segurança. Para esse tipo de RAID, há necessidade de no mínimo 3 discos. As informações de paridade são gravadas em cada disco de tal forma que se um dos integrantes da matriz falhar, as informações nele contidas podem ser reconstruídas. Sua performance de gravação é menor do que a do RAID 0 e maior que a do RAID 1. A performance de leitura é a melhor entre as aqui citadas, já que as informações estão distribuídas entre três ou mais discos.

Cc716445.image004(pt-br,TechNet.10).gifPode-se implementar RAID de duas maneiras distintas sendo cada qual com suas vantagens e desvantagens: RAID por Software ou Hardware.

Perguntas e Respostas

O que acontece se durante uma falha em meu RAID 5 outro disco da matriz resolver parar de funcionar?
Infelizmente seus dados serão perdidos… RAID não é feito para substituir o backup: é apenas mais uma segurança para evitar que a máquina fique parada por muito tempo.

RAID por Software

A grande vantagem do RAID por software é seu custo: nenhuma placa adicional ou mesmo componente onboard faz parte dos seus requisitos. Na verdade, a única necessidade é ter um sistema operacional que dê suporte a essa tecnologia – como o Windows 2000.

Aqui iremos tratar dos conceitos de RAID por software desse sistema operacional da Microsoft pois no Windows 2000 temos dois tipos de discos: básicos e dinâmicos.

Disco Básico: É o disco comum, que é subdividido em partições. Pode ter até quatro partições Primárias (aquelas que dão suporte a boot) ou então três Primárias e uma Estendida. Esta última é subdividida em Unidades Lógicas. Um disco básico não dá suporte a RAID por software.

Disco Dinâmico: Este tipo de disco é de exclusividade dos sistemas operacionais baseados no Windows 2000 (XP e Win2003 inclusos), ou seja, somente esses sistemas operacionais conseguem reconhecê-lo. Um disco dinâmico é subdividido em Volumes ao invés de partições. Nesse caso não há limitações quanto ao número de volumes que podem existir em um disco dinâmico. Com ele podemos criar matrizes de RAID por software.

Perguntas e Respostas

Como faço para converter um disco dinâmico de volta para básico?
Isso não é possível sem que todos os volumes tenham sido deletados. Portanto, tenha certeza do que está fazendo…

Posso converter meu ZIP drive ou meu disco USB para disco dinâmico?
Não é possível converter discos removíveis para discos dinâmicos. Tampouco o disco rígido de seu laptop ou notebook pode ser convertido para dinâmico.

Convertendo um disco básico em um disco dinâmico

Cc716445.image005(pt-br,TechNet.10).gifSelecione o(s) disco(s) a ser(em) convertido(s)…

Cc716445.image006(pt-br,TechNet.10).gifE finalmente clique em Convert!

Cc716445.image007(pt-br,TechNet.10).gifDepois de ter o seu disco convertido para dinâmico, é importante que você entenda os vários tipos de volumes existentes no Windows 2000:

  • Volume Simples: É o equivalente à partição do disco Básico. Todas as partições são convertidas para volumes simples depois que seu disco se torna dinâmico.
  • Volume Estendido (ou Spanned): Um volume estendido pode conter espaço em disco de até 32 HDs. Os dados são gravados preenchendo o espaço em disco do primeiro HD, depois do segundo e assim por diante. Por essa razão, não há melhoria na performance.
  • Volume Striped: Chamado assim porque os dados são gravados em tiras (stripes). É o nosso famoso RAID 0! Um volume striped pode conter de 2 até 32 discos.
  • Volume Espelhado: É o RAID 1.
  • Volume Striped com Paridade: Implementação por software do RAID 5. O Windows 2000 suporta até 32 discos em um Volume Striped com Paridade, lembrando que o mínimo é 3.

A figura abaixo ilustra uma matriz de RAID por software, mais precisamente um volume Striped: note que não necessariamente todo o espaço de determinado disco rígido deve estar ocupado pelo volume.

Cc716445.image008(pt-br,TechNet.10).gifPerguntas e Respostas

Por que não consigo instalar o Windows em um determinado volume?
O Windows 2000 somente pode ser instalado em uma Partição que foi convertida para Volume (isso ocorre automaticamente quando o disco é convertido para dinâmico). O programa de instalação usa a BIOS para se comunicar com o disco, que só reconhece volumes listados na tabela de partições do HD.

Não consigo fazer um volume Striped com Paridade no meu Windows 2000 Professional!
O Windows 2000 Professional não suporta volumes com tolerância a falha (volumes Espelhados e volumes Striped com Paridade).

Posso mover um volume Striped, Striped com paridade, Estendido ou Espelhado de um computador para outro?
Sim. Contanto que todas as unidades de disco rígido integrantes da matriz forem movidas.

RAID por Hardware

O RAID por hardware é sem dúvida a maneira mais eficiente de implementar matrizes de discos rígidos e qualquer sistema operacional pode reconhecer uma matriz desse tipo, como se fosse um HD simples. A figura abaixo demonstra esse aspecto em uma placa-mãe Soyo K7V Dragon Plus, que contém um chip onboard da Promise modelo FastTrak 100 Lite.

Cc716445.image009(pt-br,TechNet.10).gifCc716445.image010(pt-br,TechNet.10).gif
Chip Promise FastTrak 100 Lite da Soyo Dragon Plus!

Além disso, o RAID por hardware é mais rápido: ao contrário das matrizes de RAID por Software, todo o espaço da unidade de disco é utilizado para a matriz.

Perguntas e Respostas

Posso mesclar unidades de disco diferentes em uma matriz de RAID por Hardware?
Sim, mas a controladora vai fazer com que elas se tornem “iguais”. Se tivermos um disco de 40Gb de 5400Rpm e um outro disco de 20Gb de 7200 Rpm, teremos que a quantidade de espaço disponível para a matriz será de 40Gb, o espaço restante na unidade de disco maior ficará inutilizado. Quanto à performance, seria como se você tivesse dois discos de 5400 rpm.

Quero mover minha matriz de RAID por Hardware para outro computador.
Funciona, desde que todas as unidades da matriz forem movidas e que as controladoras dos dois computadores sejam as mesmas (como duas Promise Fasttrak 100) ou compatíveis.

As controladoras RAID são incompatíveis… Posso ler a minha matriz em uma controladora de disco rígido comum?
Você pode ler as unidades em separado e em certas configurações. Apesar desse comportamento variar entre as controladoras RAID, normalmente consegue-se ler qualquer um dos discos de uma matriz de Espelhamento (RAID 1) e uma “matriz” de um disco somente em RAID 0.

Não existe opção para dar boot pela matriz RAID na minha Bios…
Geralmente a Bios da máquina reconhece a controladora RAID como uma SCSI. Assim sendo, tudo o que você deve fazer é selecionar a opção SCSI em uma das opções de boot. Abaixo temos o exemplo da BIOS da Soyo Dragon Plus:

Cc716445.image011(pt-br,TechNet.10).gif

Até a próxima!

[  ]’s

Como criar um volume RAID 5 no Windows

Publicado em:
07/01/2011

Por: Fábio Augusto

Um dos recursos interessantes do Windows 2000 Server e superiores é possibilitar a criação de discos espelhados, RAID 0 e RAID 5. 
Para quem não tem placa RAID em seu servidor é possível aumentar a segurança gravando as informações em mirror ou em RAID 5.
Outros recursos estão disponíveis  com criação de volumes Spanned ou Striped.
Neste tutorial é ensinado como criar RAID 5.
Foi utilizado o Windows Server 2003, mas o mesmo procedimento se aplica a Windows 2000 Server e
provavelmente ao Windows Server 2008.

Um volume em RAID 5 tem a vantagem de ser seguro e aproveitar bem a capacidade disponível.

Caso 1 dos discos falhe, o volume continuará funcionando. Com isso será possível agendar um horário mais adequado para substituir o disco defeituoso.

Há perda de performance para a escrita, já que para a cada escrita será necessário calcular a paridade, que será utilizada em caso de falha.

Na leitura o RAID 5 é quase tão rápido quanto o RAID 0.

Caso queira saber mais sobre os níveis de RAID, acesse o artigo Conheça os níveis de RAID.

Pré-requisitos

– Tenha certeza que você tem aplicado no seu servidor o último Service Pack e tenha backup de seus dados.

Normalmente não deve haver nenhum problema, mas nunca se sabe…

– Você já tem pelo menos 3 discos ligados no seu computador e nenhum dele é disco de boot.

Para proteger a partição do sistema, você deverá reservar outro disco para espelhar usando RAID 1.

Procedimento

1  ) Logue no servidor com permissão de administrador. Vá Iniciar (Start), Painel de Controle (Control Panel),

Ferramentas Administrativas (Administrative Tools) e Gerenciamento do Computador (Computer Management).

2  ) No painel da esquerda vá em Armazenamento (Storage) e Gerenciamento de Disco (Disk Management).

disk-management

3 ) Imaginando que você tem os backups atualizados deste servidor, clique com o botão direito no disco que deseja converter e

escolha Converter para dinâmico (Convert to Dynamic Disk) e siga confirmando para toda as telas conforme abaixo.

storage-management-1

storage-management-2

storage-management-2

storage-management-3

storage-management-4

storage-management-6

4 ) Repita a operação para todos os outros discos que farão parte do volume RAID 5.

5 ) Quando todos os discos já estiverem como Dynamic, clique com o botão direito em

Disk Management, New, Volume. Será aberto o wizard abaixo, clique me Next:

1-new-volume-raid

6 ) Selecione RAID 5 e clique em Next:

2-new-volume-raid-5

7 ) Selecione os discos que farão parte do seu volume e clique em Add.

Lembre-se que é recomendável utilizar discos de mesmo tamanho.

Se você colocar no seu RAID 5: 2 discos de 40 GB e 1 de 20 GB,

o tamanho total disponível será de 40 GB, já que 20 GB de cada disco de 40 GB não poderá ser usado e é necessário um disco para paridade.

3-new-volume-raid-5-select-disks

8 ) Depois de adicionar os discos que farão parte do volume, clique em Next:

4-new-volume-raid-5-select-disks-2

9 ) Escolha a letra pela qual o volume será identificado e clique em Next:

5-new-volume-choose-letter

10 ) Escolha as opções de formatação. É recomendável que você deixe conforme abaixo e clique em Next:

6-new-volume-format

11 ) Clique em Finish para terminar a criação do volume:

7-new-volume-finish

12 ) Depois de criar o volume, o mesmo aparecerá assim no Disk Management:

8-new-volume-formatting

Depois que acabar a formatação o volume estará disponível para uso.

Observações:

– Caso você precise mudar este volume para outro computador, precisará levar todos os discos.

Não é necessário fazer nada, o Windows deve reconhecer o volume automaticamente.

– O Raid 5 tem a vantagem de ser seguro: caso um dos discos falhe, o volume ainda estará disponível.

– Você consegue criar volumes maiores que o maior dos hds existentes.

– A performance de gravação será influenciada pela velocidade do seu processador,

já cada vez que gravar será necessário calcular a paridade. Ou seja, volumes muito alterados tendem a ficar mais lentos.

– A performance de leitura deve ser bem razoável, já que você estará lendo informações de pelo menos 2 hds.

Eu não testei mas tende a ser melhor do que ler de um único hd.

Espero ter ajudado vocês, este artigo é muito importante quando se fala de dados,

Backup e facilidade para restaurar ou tratar dados com prioridade.

[  ]’s

Cotas em Disco

 Publicado em:
07/01/2011

Por: Fábio Augusto

O sistema de arquivos NTFS conta com um recurso muito útil: Cotas em Disco. Com esse recurso, podemos definir qual será o espaço em disco disponível para cada usuário.

 A seguir algumas características das cotas em disco:

  • Não podemos definir cotas para um grupo de usuários, somente para usuários. 
  • Somente membros do grupo Administradores podem visualizar e configurar as cotas em disco. 
  • As cotas estão disponíveis somente em partições NTFS. 
  • Para definir qual o espaço que um usuário está utilizando, verifica-se de quais arquivos e pastas o usuário é dono, e após isso, soma-se o tamanho de todos os arquivos. 
  • Quando um usuário excede sua cota, podemos impedi-lo de gravar mais arquivos ou somente registrar um evento no log de sistema. 
  • Caso um arquivo esteja compactado, o tamanho do arquivo utilizado na soma da cota do usuário, será o tamanho do arquivo descompactado.

 

 W2K3-004

 Configurar as cotas em disco

  • Abra o Windows Explorer;
  • Clique com o botão direito sobre a partição desejada e selecione Propriedades (Properties);
  • Clique na aba Cota (Quota);
  • Selecione a opção Ativar gerenciamento de cota (Enable quota management);
  • Selecione a caixa Negar espaço em disco para usuários excedendo o limite de cota (Deny disk space to users exceeding quota limit), caso deseje que essa ação seja executada;
  • Selecione o limite de cota padrão para novos usuários. Pode ser sem limite ou um limite especificado;
  • Defina o nível de notificação, ou seja, quando o usuário estiver perto de exceder a cota, uma mensagem será exibida;
  • Selecione as opções de log. Podemos registrar um evento no log quando um usuário exceder o limite de cota ou quando um usuário exceder o limite definido no nível de notificação;
  • Clique em Entradas de cota (Quota entries);

 W2K3-005

  • Agora podemos configurar as cotas para cada usuário. Podemos também verificar a quantidade de espaço em disco que um usuário já utiliza;
  • Clique no menu Cota (Quota) e depois em Nova entrada de cota (New Quota Entry);
  • Selecione o usuário e clique em OK;
  • Selecione a opção Limitar espaço em disco a (Limit disk space to) e defina qual será o espaço disponível para esse usuário;
  • Defina também o nível de notificação;

 W2K3-006 

  • Clique em OK. Para editar a nova entrada de cota, clique duas vezes sobre a entrada.
  • Observe que a configuração feita já é exibida na janela Entradas de cota.

  W2K3-007

Links relacionados

Espero ter ajudado

[  ]’s