Procedimentos de Padronização de Nomes

Publicado em:

15/11/2011

Fonte: http://procedimentosemti.com.br

Olá Pessoal, este artigo é muito interessante quando o assunto é organizar sua infraestrutura de rede, segue a vocês procedimentos de como nomear, Servidores,  Dispositivos de rede, estações de trabalho (Desktops)  e qualquer dispositivo da sua infra a questão que recebo de novos administradores é sempre a mesma,  Onde anotar tantos nomes?  Como simplicar? Regras? Qual a maneira mais fácil?

Com o crescimento da empresa isso acaba se tornando prioridade e deve ser não somente nomeada como também documentada.

Vamos lá:

Nomenclaturas de Servidores.

A nomenclatura de servidores dentro de uma LAN está focada principalmente para o tipo de serviço que o servidor roda, seu nome tem que ser claro e objetivo, facilitando para o administrador agilizar o suporte.

Existem alguns mitos em nome de servidores, por exemplo, um servidor como o Host Name de: Protheus (Athenas, Hercules, etc) nomes gregos, onde esses nomes poderiam dificultar alguma invasão em sua rede, uma vez que um cracker queira invadir o seu servidor, não será pelo Host Name e sim pelos serviços que estão rodando no mesmo.

Exemplo de nome de servidor de Domain Controller: PTISPO01DC01
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
DC01 = Domain Controller Primário da Matriz São Paulo

Nesse exemplo, os três primeiros dígitos e dedicado para a nomenclatura da Organização, o conjunto seguinte, foi utilizado à conotação CNL (Código Nacional de Localidade) junto com o numero 01 (impar) indicando a matriz ou a primeira filial do Estado de São Paulo na seqüência temos o conjunto que fala o tipo do serviço DC – Domain Controller junto com o numero 01 (impar) indicando o primeiro servidor da matriz ou filial.

Exemplo de nome de servidor de Domain Controller: PTISPO01DC02
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
DC02 = Domain Controller Adicional da Matriz São Paulo

Nesse exemplo todos os campos são os mesmo, sendo alterado somente na opção DC02, indicando que esse servidor e um Domain Controller Adicional ao domínio existente, as numerações seguintes podem ser domínios adicionais ou subdomínios.

Exemplo de nome de servidor de Banco de Dados: PTISPO01DB01
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
DB01 = Data Base Primário da Matriz São Paulo

Nesse exemplo todos os campos são os mesmo, sendo alterada somente a opção DB01, indicando que esse servidor e um Data Base primário.

Clique aqui e veja alguns exemplos de nome de serviços para servidores, tanto Microsoft Windows como GNU/Linux.

Clique aqui e veja uma lista de CNL (Código Nacional de Localidades) para especificar o estado ou cidade onde o servidor está sendo configurado

Nomenclaturas de Desktops.

Seguindo o mesmo padrão da nomenclatura de servidores, o Host Name dos Desktops, Notebook, Thin Client também tem que ser simples e de fácil entendimento para os administradores de rede.

Exemplo de nome de Desktop: PTISPO01DT001
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
DT001 = Desktop 001 da Matriz São Paulo

Nesse exemplo todos os campos são os mesmo, sendo alterado somente a opção DT001, com 3 (três) ou mais dígitos para quantificar a quantidade de desktops dentro da rede, não e recomendo colocar o nome do Desktop sendo o nome do funcionário ou setor da empresa, essa opções podem ser configuradas utilizando a opção de Computer Description.

Exemplo de nome de Notebook: PTISPO01NB001
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
NB001 = Notebook 001 da Matriz São Paulo

Nesse exemplo todos os campos são os mesmo, sendo alterado somente a opção NB001.

Exemplo de nome de Thin Client: PTISPO01TC001
PTI = Organização Procedimentos em TI
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade unidade Matriz São Paulo
TC001 = Thin Client 001 da Matriz São Paulo

Nesse exemplo todos os campos são os mesmo, sendo alterado somente a opção TC001.

Nomenclaturas de Periféricos.

A nomenclatura de periféricos dentro de uma LAN segue o mesmo padrão da nomenclatura de servidores e desktops, seu nome tem que ser claro e objetivo, facilitando para o administrador agilizar o suporte.

Exemplo de nome de impressora Laser Jet: HP-LJ-4350n-DRH
HP = Nome do Fabrincante da Impressora
LJ = Tipo da Impressora Laser Jet
4350n = Modelo da Impressora
DRH = Departamento que a impressora está instalada fisicamente

Nesse exemplo, os 2 (dois) primeiros campos indica o fabricante da impressora, separa por traço vem o campo do tipo da impressora, em seguida temos o modelo da impressora e sua localização física no departamento que ele foi instalada e configurada.

Para acrescimento de mais impressoras do mesmo tipo/modelo/depto pode ser acrescentado ao campo departamento à opção: DRH01 ou DRH02 e subseqüente as demais impressoras iguais no departamento.

Exemplo de nome de impressora Matricial: EP-MT-FX1170-CAP
EP = Nome do Fabrincante da Impressora
MT = Tipo da Impressora Laser Jet
FX1170 = Modelo da Impressora
CAP = Departamento que a impressora está instalada fisicamente

Seguindo o mesmo padrão da impressora laser Jet, mesmo sendo uma impressora LPT1 não e necessário especificar essa função no nome do periférico, maiores informações utilize os campos Location e Comment da propriedades da impressora

Clique aqui e veja alguns exemplos de nome de impressoras

 

Nomenclaturas de Switches/Roteadores/Wi-Fi.

A nomenclatura de switches, roteadores e dispositivos wi-fi  (sem fio) dentro de uma LAN segue o mesmo padrão da nomenclatura de servidores, desktops e periféricos seu nome tem que ser claro e objetivo, facilitando para o administrador agilizar o suporte.

Exemplo de nome de Switch Layer 2: SW-L2-48A-FAT
SW = Abreviatura de Switch
L2 = Tipo de Switch Layer 2 não retoavel
48A = 48 Portas utilizado para tipo de acesso (A – Access)
FAT = Departamento que o Swtich está instalado fisicamente

Nesse exemplo, os 2 (dois) primeiros campos indica o equipamento, separa por traço vem o modelo do switch, em seguida temos a quantidade de portas físicas e também o tipo de utilização do switch, nesse exemplo de acesso, em seguida sua localização física no departamento que ele foi instalado e configurado.

Para acrescimento de switch do mesmo tipo/modelo/depto pode ser acrescentado ao campo departamento à opção: FAT01 ou FAT02 e subseqüente as demais switches iguais no departamento.

Exemplo de nome de Switch Layer 2: SW-L2-48D-RK10
SW = Abreviatura de Switch
L2 = Tipo de Switch Layer 2 não retoavel
48D = 48 Portas utilizado para tipo de distribuição (D – Distributions)
RK10 = Rack que o Swtich está instalado fisicamente

Nesse exemplo todos os dados são iguais mudando somente tipo de utilização do switch, nesse exemplo de distribuição do 1º andar.

Exemplo de nome de Switch Layer 3: SW-L3-48C-SRV
SW = Abreviatura de Switch
L3 = Tipo de Switch Layer 3 roteavel
48C = 48 Portas utilizado para tipo de nucleo (C – Core)
SRV = Departamento que o Swtich está instalado fisicamente

Nesse exemplo no campo do modelo do switch está sendo utilizado um equipamento layer 3 com capacidade de roteamento, na quantidade de portas temos a opção de core (Núcleo) e está sendo utilizado para a interligação dos servidores.

Exemplo de nome de Roteador: SPO01-MPLS-01
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
MPLS – Tipo da tecnologia de WAN utilizada
01 = Roteador Primáro do Link de WAN MPLS

Nesse exemplo, os 5 (cinco) primeiros campos indica a localização do roteador, separa por traço vem o tipo de tecnologia de WAN utilizada separado pela quantidade de roteadores utilizado nesse link.

Exemplo de nome de Roteador: SPO01-ADSL-01
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
ADSL – Tipo da tecnologia de WAN utilizada
01 = Roteador Primáro do Link de WAN ADSL

Nesse exemplo, todos os dados são iguais, trocando apenas o tipo de tecnologia, nesse caso ADSL.

Exemplo de nome de Roteador: SPO01-FM-01
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
FM – Tipo da tecnologia de WAN utilizada
01 = Roteador Primáro do Link de WAN FM

Nesse exemplo, todos os dados são iguais, trocando apenas o tipo de tecnologia, nesse caso Frame Relay.

Exemplo de nome de Roteador: SPO01-ETH-PRD01
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
ETH – Tipo da tecnologia de LAN utilizada
PRD01 = Roteador Primáro do Link de LAN Ethernet do Prédio 01

Exemplo de nome de Roteador: SPO01-ETH-RK01
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
ETH – Tipo da tecnologia de LAN utilizada
RK01 = Roteador Primáro do Link de LAN Ethernet do Rack 01

Nesse exemplo, todos os dados são iguais, trocando apenas a localização fisica do roteador no Rack 01

Exemplo de nome de Wi-Fi: SPO01-AP-CAP
SPO01 = Codigo Nacional de Localidade Roteador da Matriz de São Paulo
AP – Tipo da tecnologia de W-LAN
CAP = Localização fisica do Acces Point

Nesse exemplo, os 5 (cinco) primeiros campos indica a localização do roteador, separa por traço vem o tipo de tecnologia de W-LAN utilizada separado pela localização fisica do Acces Point.

Espero que vocês tenham gostado desse procedimento e que ajude vocês no dia a dia.

[  ]’s

 

3 respostas em “Procedimentos de Padronização de Nomes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s