Guia Passo a Passo de Sistemas de Arquivos Distribuídos no Windows Server 2008

Publicado em:
14/11/2011

Fonte: http://technet.microsoft.com/pt-br/library/cc732863(WS.10).aspx

Pessoal , achei interessante colocar a disposição este guia sobre o DFS elaborado pelo próprio time da microsoft relacionado nesta tecnologia, é um bom conceito sobre o DFS.

Aplica-se a: Windows Server 2008

As tecnologias do DFS (Sistema de Arquivos Distribuídos) oferecem replicação amigável em rede WAN (rede de longa distância) e também acesso simplificado e altamente disponível a arquivos geograficamente dispersos. No Windows Server® 2008, o DFS é implementado como um serviço de função incluído na função Serviços de Arquivo. O Sistema de Arquivos Distribuídos consiste em dois serviços de função:

  •         Namespaces DFS
  •         Replicação DFS

Se você não estiver familiarizado com Namespaces DFS e Replicação DFS no Windows Server 2008, é recomendável ler o documento que contém uma visão geral da solução de Sistema de Arquivos Distribuídos no Microsoft Windows Server 2003 R2 no site da Microsoft® (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=46801) (essa página pode estar em inglês). A visão geral descreve os benefícios da Replicação DFS e os aprimoramentos que ela oferece por meio do serviço de Replicação de Arquivos (FRS). Para obter informações sobre os aprimoramentos introduzidos pelo DFS no Windows Server 2008, consulte o texto sobre Sistema de Arquivos Distribuídos no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=108012 (essa página pode estar em inglês).

Sobre este guia

Este guia passo a passo fornece os requisitos de sistema, as instruções de instalação e orientações passo a passo para implantar recursos de Namespaces DFS e Replicação DFS no Windows Server 2008 em um ambiente de laboratório.

Requisitos de laboratório

Duas seções passo a passo são fornecidas neste guia. A lista com marcadores a seguir destaca os requisitos para a conclusão de cada um dos dois guias passo a passo.

Requisitos de laboratório para a conclusão do Guia Passo a Passo de Implantação de Namespace

Para concluir todas as tarefas nesta seção, você precisa de no mínimo dois servidores configurados da seguinte forma no laboratório de teste:

  •                   Um servidor deve executar o Windows Server 2008. Esse é o servidor no qual você instalará o snap-in Gerenciamento DFS para executar as tarefas neste guia.
  •                   O segundo servidor deve executar o Windows® Server 2003 SP1 ou o Windows Server 2003 R2 ou o Windows Server 2008.
  •                   Para criar namespaces com base no domínio nessas tarefas, você deve ter os Serviços de Domínio Active Directory® (AD DS) implantados no laboratório de teste. Você também deve ser membro do grupo Admins. do Domínio ou ter recebido a capacidade de criar namespaces com base no domínio. Para obter mais informações sobre delegação, consulte o texto sobre como delegar permissões de gerenciamento para namespaces DFS na Ajuda do snap-in Gerenciamento DFS.
  •                   Para implantar a Replicação DFS no namespace, você deve ter estendido o esquema para incluir os novos objetos de Replicação DFS no AD DS. Para obter requisitos de configuração específicos, consulte a seção “Instalando o Windows Server 2008 e o Sistema de Arquivos Distribuídos” posteriormente neste guia.

Você poderá concluir um subconjunto de tarefas se tiver um único servidor ou se não tiver o AD DS implantado no laboratório de teste.

Requisitos de laboratório para a conclusão do Guia Passo a Passo de Implantação da Replicação DFS

Para concluir todas as tarefas nesta seção, é necessário configurar o laboratório de teste da seguinte forma:

  •                   Pelo menos três servidores de arquivo são necessários. Todos os três servidores devem ter o Windows Server 2003 R2 ou o Windows Server 2008 e o serviço de Replicação DFS instalado. Um dos servidores deve ter o snap-in Gerenciamento DFS instalado. Siga os procedimentos em “Instalando o Windows Server 2008 e o Sistema de Arquivos Distribuídos” posteriormente neste guia para instalar o serviço e o snap-in.
  •                   O laboratório de teste deve ter o AD DS instalado. Dependendo da versão do esquema, talvez seja necessário estendê-lo de acordo com as instruções descritas em “Atualizando o esquema AD DS” posteriormente neste guia.

Antes de começar uma das seções passo a passo, é importante examinar os seguintes requisitos e limitações da Replicação DFS.

  •                   Os servidores de um grupo de replicação devem estar na mesma floresta. Você não pode habilitar a replicação entre servidores de florestas diferentes.
  •                   As pastas replicadas devem ser armazenadas em volumes NTFS.
  •                   O software antivírus deve ser compatível com a Replicação DFS. Contate o fornecedor do software antivírus para verificar a compatibilidade.
  •                   A Replicação DFS talvez não funcione através de firewalls durante a replicação entre filiais sem uma conexão VPN (rede virtual privada), porque usa o mapeador de ponto de extremidade dinâmico de RPC (chamada de procedimento remoto). Além disso, configurar a Replicação DFS com o uso do snap-in Gerenciamento DFS não funciona quando há um firewall habilitado. Para habilitar a Replicação DFS de modo que funcione através de um firewall, defina uma porta estática usando a ferramenta de linha de comando Dfsrdiag.exe. Para obter mais informações sobre como usar a Replicação DFS através de um firewall, consulte a seção sobre limitação e requisitos nas perguntas freqüentes sobre replicação do sistema de arquivos distribuídos no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=93056 (essa página pode estar em inglês).

Introdução

As seções a seguir fornecem instruções sobre como instalar o Windows Server 2008 e o snap-in Gerenciamento DFS.

Atualizando o esquema AD DS

Se você pretende usar a Replicação DFS, o esquema AD DS deverá ser atualizado para a versão para Windows Server 2003 R2 ou Windows Server 2008, de modo a incluir as classes e os atributos AD DS usados pela Replicação DFS.

noteObservação
            Caso você já tenha estendido o esquema para a versão para Windows Server 2003 R2, poderá implantar servidores para a Replicação DFS. Não é necessário estender ainda mais o esquema para que a versão do Windows Server 2008 use replicação DFS.

Para obter instruções sobre como atualizar o esquema AD DS, consulte o texto sobre extensão de esquema no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=64262 (essa página pode estar em inglês).

Depois que o esquema for atualizado conforme o necessário, siga estes procedimentos para instalar os componentes de DFS:

Instalando o Windows Server 2008 e o DFS

Durante a instalação, siga os avisos na tela para incluir o Windows Server 2008. Consulte a seção “Requisitos de laboratório” anteriormente neste guia para obter detalhes sobre quais servidores devem executar o Windows Server 2008 e quais podem executar o Windows Server 2003 R2 ou o Windows Server 2003 SP1.

Após a instalação do Windows Server 2008, siga os próximos procedimentos para instalar os componentes do DFS e abrir o snap-in Gerenciamento DFS.

noteObservação
            O método abaixo que usa a ferramenta Gerenciador de Servidoreslhe permite instalar o DFS como parte da função de servidor de arquivos. Esse método também instala outras ferramentas de servidor de arquivos, como o Gerenciador de Recursos de Servidor de Arquivos e o Gerenciamento de Servidor de Arquivos.

Para instalar o DFS como parte da função de servidor de arquivos

  1. Clique em Iniciar, aponte para Todos os Programas, aponte para Ferramentas Administrativas e clique em Gerenciador de Servidores.
  2. Na árvore de console do Gerenciador de Servidores, clique com o botão direito do mouse em Funções e clique em Adicionar Funções.
  3. Siga as etapas no Assistente para Adicionar Funções e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                  Página Assistente para Adicionar Funções                   O que inserir
Antes de começar Clique em Avançar após verificar se os requisitos listados na página foram atendidos.
Selecionar Funções de Servidor Marque a caixa de seleção Serviços de Arquivo.
Serviços de Arquivo Clique em Avançar.
Selecionar Serviços de Funções Marque a caixa de seleção Sistema de Arquivos Distribuídospara instalar Namespaces DFS e Replicação DFS.Para instalar os Namespaces DFS ou a Replicação DFS separadamente, marque a caixa de seleção que corresponde à parte do DFS que você deseja instalar.
Criar um Namespace DFS Marque a caixa de seleção Criar um namespace mais tarde usando o snap-in Gerenciamento DFS no Gerenciador de Servidores.
Confirmação Clique em Instalar para instalar a função de servidor de arquivos e o DFS.
Progresso da Instalação Essa página é substituída automaticamente pela página Resultados da Instalação quando a instalação é concluída.
Resultados da Instalação Anote os erros e clique em Fechar para fechar o assistente.

Siga o próximo procedimento se a função de servidor de arquivos já tiver sido adicionada.

Para instalar o DFS se a função de servidor de arquivos já tiver sido adicionada

  1. Clique em Iniciar, aponte para Todos os Programas, aponte para Ferramentas Administrativas e clique em Gerenciador de Servidores.
  2. Na árvore de console do Gerenciador de Servidores, clique com o botão direito do mouse em Serviços de Arquivos e clique em Adicionar Serviços de Função.
  3. Siga as etapas no Assistente para Adicionar Serviços de Função e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                  Página Assistente para Adicionar Serviços de Função                   O que inserir
Selecionar Serviços de Função Marque a caixa de seleção Sistema de Arquivos Distribuídospara instalar Namespaces DFS e Replicação DFS.Para instalar os Namespaces DFS ou a Replicação DFS separadamente, marque a caixa de seleção que corresponde à parte do DFS que você deseja instalar.
Criar um Namespace DFS Clique na caixa de seleção Criar um namespace mais tarde usando o snap-in Gerenciamento DFS no Gerenciador de Servidores.
Confirmação Clique em Instalar para instalar a função de servidor de arquivos e o DFS.
Progresso da Instalação Essa página é substituída automaticamente pela página Resultados da Instalação quando a instalação é concluída.
Resultados da Instalação Anote os erros e clique em Fechar para fechar o assistente.
noteObservação
            A instalação do Gerenciamento DFS também instala o Microsoft .NET Framework 2.0, necessário para a execução do snap-in Gerenciamento DFS.

Para abrir o snap-in Gerenciamento DFS

  • Clique em Iniciar, aponte para Todos os Programas, aponte para Ferramentas Administrativas e clique em Gerenciamento DFS.

Também é possível usar o snap-in Gerenciamento DFS hospedado pelo Gerenciador de Servidores para gerenciar os Namespaces DFS e a Replicação DFS.

Visão geral do snap-in Gerenciamento DFS

O snap-in Gerenciamento DFS é a ferramenta de interface gráfica do usuário para gerenciar os Namespaces DFS e a Replicação DFS. Esse snap-in é novo e difere do snap-in Sistema de Arquivos Distribuídos no Windows Server 2003. Assim, antes de começar a usar os Namespaces DFS e a Replicação DFS, convém você examinar os componentes desse snap-in, que são indicados na figura a seguir e descritos nas próximas seções.

Imagem Art

Árvore de console

A árvore de console tem dois nós: Namespaces e Replicação, nos quais você pode gerenciar os namespaces e a replicação DFS.

Nó Namespaces

A figura a seguir mostra os elementos no nó Namespaces na árvore de console.

Imagem ArtComo a figura indica, o nó Namespaces contém os namespaces que você cria e aqueles que adiciona à exibição do console. Na figura anterior, há um namespace:\\Contoso.com\Public. Sob cada namespace há um modo de exibição hierárquico das pastas. As pastas que têm destinos usam um ícone especial para diferenciá-las das que não têm.

noteObservação
                    Se você não estiver familiarizado com a terminologia de namespace, consulte a seção “Introdução aos namespaces” posteriormente neste guia.
Nó Replicação

A figura a seguir mostra os elementos no nó Replicação na árvore de console.

Imagem ArtComo a figura indica, o nó Replicação contém os grupos de replicação que você cria e aqueles que adiciona à exibição do console. Um grupo de replicação representa um grupo de servidores que participa da replicação dos dados. Para obter mais informações sobre grupos de replicação, consulte “Introdução à Replicação DFS” posteriormente neste guia.

Painel de detalhes

O conteúdo do painel de detalhes é alterado de acordo com o que você selecionou na árvore de console. Por exemplo, se você selecionar um namespace na árvore de console, verá guias denominadas Namespace, Servidores de Namespaces, Delegação e Pesquisar no painel de detalhes. Se você selecionar um grupo de replicação, verá guias denominadas Associações, Conexões, Pastas Replicadas e Delegação. Você pode clicar duas vezes nos objetos no painel de detalhes para exibir suas propriedades.

Painel de ações

O Painel de Ações mostra dois tipos de tarefas: tarefas comuns e tarefas que se aplicam ao objeto selecionado. Se o Painel de Ações não estiver visível, siga estas etapas para abri-lo: clique no menu Exibir, clique em Personalizar e clique na opção Painel de Ações na caixa de diálogo Personalizar Exibição.

Guia Passo a Passo para Implantar um Namespace

As seções a seguir introduzem os namespaces e o orientam passo a passo durante o processo de implantação de um namespace em um laboratório de teste. As tarefas nestas seções foram elaboradas para administradores novatos em Namespaces DFS e administradores com experiência no uso do DFS no Windows Server 2003 e no Windows® 2000 Server. Essas tarefas o conduzem pelas etapas de implantação e destacam aspectos do snap-in Gerenciamento DFS novos ou significativamente diferentes das ferramentas de gerenciamento de DFS anteriores.

Caso você não tenha usado o DFS no Windows Server 2003 ou no Windows 2000 Server, é recomendável ler a seção de introdução a seguir para saber mais sobre namespaces antes de começar as tarefas.

Introdução aos namespaces

Os Namespaces DFS lhe permitem agrupar pastas compartilhadas localizadas em servidores diferentes conectando-as de modo transparente a um ou mais namespaces. Um namespace é uma exibição virtual de pastas compartilhadas em uma organização. Quando cria um namespace, você seleciona quais pastas compartilhadas serão adicionadas ao namespace, cria a hierarquia na qual essas pastas aparecem e determina os nomes que essas pastas exibem no namespace. Quando um usuário exibe o namespace, as pastas parecem residir em um único disco rígido de alta capacidade. Os usuários podem navegar no namespace sem que precisem saber os nomes dos servidores ou das pastas compartilhadas que hospedam os dados.

O caminho para um namespace é similar ao caminho UNC (Convenção Universal de Nomenclatura) de uma pasta compartilhada, como \\Server1\Public\Software\Tools. Se você estiver familiarizado com caminhos UNC, saberá que neste exemplo a pasta compartilhada, Public, e suas subpastas, Software e Tools, estão hospedadas em Server1. Agora, vamos supor que você queira dar aos usuários um único local para localizar dados, mas deseja hospedar os dados em servidores diferentes para fins de disponibilidade e desempenho. Para fazer isso, você pode implantar um namespace similar ao mostrado na figura a seguir. Os elementos deste namespace são descritos após a figura.

Elementos da tecnologia de namespaces DFS

  • Servidor de namespace. Um servidor de namespace hospeda um namespace. O servidor de namespace pode ser um servidor membro ou um controlador de domínio.
  • Raiz do namespace. A raiz é o ponto inicial do namespace. Na figura anterior, o nome da raiz é Public e o caminho do namespace é \\Contoso\Public. Esse tipo de namespace é conhecido como namespace baseado no domínio porque começa com um nome de domínio (por exemplo, Contoso) e seus metadados são armazenados no AD DS. Embora um único servidor de namespaces apareça na figura anterior, um namespace baseado no domínio pode ser hospedado em vários servidores de namespaces.
  • Pasta. As pastas ajudam a construir a hierarquia de namespaces. Opcionalmente, elas podem ter destinos de pasta. Quando os usuários procuram uma pasta com destinos no namespace, o computador cliente recebe uma referência que redireciona o computador cliente para um dos destinos de pasta.
  • Destinos de pasta. Um destino de pasta é o caminho UNC de uma pasta compartilhada ou outro namespace associado a uma pasta em um namespace. Na figura anterior, a pasta chamada Tools possui dois destinos de pasta, um em Londres e um em Nova York, e a pasta denominada Training Guides possui um único destino de pasta em Nova York. Um usuário que procure \\Contoso\Public\Software\Tools será redirecionado transparentemente para a pasta compartilhada \\LDN-SVR-01\Tools ou \\NYC-SVR-01\Tools, dependendo do site no qual estiver.

Para exibir uma demonstração online que descreva a finalidade e os benefícios do DFS no Windows Server 2003, clique no link da demonstração do sistema de arquivos distribuídos na página sobre o centro de tecnologia de Sistema de Arquivos Distribuídos no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=39468 (essa página pode estar em inglês).

Implantando um namespace

As tarefas nesta seção o orientam durante o processo de implantção de um namespace que parece semelhante ao namespace mostrado na figura que aparece em “Introdução aos namespaces” anteriormente neste guia.

Tarefa 1: Criar um namespace

Nesta tarefa, você cria um novo namespace usando o snap-in Gerenciamento DFS.

Para criar um namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó Namespaces e clique em Novo Namespace.
  2. Siga as etapas no Assistente de Novo Namespace e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Novo Namespace                       O que inserir
Servidor de Namespaces Insira o nome do servidor que hospedará o namespace. O servidor pode ser um controlador de domínio ou um servidor membro.
Nome e Configurações do Namespace Em Nome, digite Public.
Tipo de Namespace Se o AD DS estiver implantado no laboratório de teste e você for membro do grupo Admins. do Domínio ou tiver recebido permissão para criar namespaces baseados no domínio, escolha Namespace baseado no domínio. Caso contrário, escolha Namespace autônomo.Para saber como um membro do grupo Admins. do Domínio pode delegar a permissão para criar namespaces baseados no domínio, consulte o texto sobre como delegar permissões de gerenciamento para namespaces DFS na Ajuda de Gerenciamento DFS.
Examinar Configurações e Criar Namespace Clique em Criar para criar o namespace.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.

Quando o assistente for concluído, o novo namespace será adicionado à árvore de console. Clique duas vezes no nó Namespaces, se necessário, para exibir o namespace, que deve ser semelhante à figura a seguir.

Imagem ArtPara procurar o novo namespace, digite o seguinte comando na caixa de diálogo Executar, substituindo o nome do servidor (caso você tenha criado um namespace autônomo) ou o nome do domínio (caso tenha criado um namespace baseado no domínio) conforme apropriado:

\\servidor_ou_domínio\Public

Tarefa 2: Adicionar um servidor de namespaces

Se você tiver criado um namespace baseado no domínio, execute essa tarefa para especificar um servidor adicional para hospedar o namespace. Esse procedimento aumenta a disponibilidade do namespace e lhe permite colocar servidores de namespaces nos mesmos sites que os usuários. Se você tiver criado um namespace autônomo, ignore essa tarefa porque esses namespaces somente dão suporte a um único servidor de namespaces.

Para adicionar um servidor de namespaces

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó \\domínio\Public e clique em Adicionar Servidor de Namespaces.
  2. Em Servidor de namespaces, digite o nome de outro servidor para hospedar o namespace e clique em OK.

Depois que você terminar o procedimento, clique no namespace \\domínio\Public na árvore de console e examine o conteúdo da guia Servidores de Namespaces no painel de detalhes, que deve ser parecido com a figura a seguir. Observe que há dois caminhos UNC. O lugar de cada servidor de namespaces também é exibido.

Imagem Art

Tarefa 3: Delegar permissões de gerenciamento

Você pode delegar permissões de gerenciamento para que os usuários que não forem membros do grupo Admins. do Domínio possam criar namespaces com base no domínio. Você pode delegar permissões de gerenciamento para que os usuários ou os grupos possam gerenciar os namespaces existentes. Nesta seção, você delegará permissões para gerenciar o namespace que criou na tarefa anterior.

Para delegar a permissão de gerenciar um namespace existente

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó \\servidor_ou_domínio\Public e clique em Delegar Permissões de Gerenciamento.
  2. Digite o nome de um usuário ou grupo cujo namespace você deseja gerenciar e clique em OK.

Após concluir esse procedimento, examine o conteúdo da guia Delegação no painel de detalhes. Ele deve ser parecido com a figura a seguir.

Imagem ArtObserve que o usuário ou grupo adicionado mostra “Explícito” na coluna Como a Permissão é Concedida. “Explícito” significa que você pode remover o usuário ou o grupo da lista de delegação clicando com o botão direito do mouse no usuário ou grupo e clicando em Remover. Os usuários ou grupos marcados como “Herdados” têm permissões de gerenciamento herdadas do AD DS e não é possível removê-los da lista de delegação usando o snap-in Gerenciamento DFS.

noteObservação
                Para delegar a capacidade de criar namespaces com base no domínio, consulte texto sobre como delegar permissões de gerenciamento para namespaces DFS na Ajuda de Gerenciamento DFS.

Tarefa 4: Adicionar pastas ao namespace

Nesta tarefa, você adiciona três pastas ao namespace. Duas das pastas terão destinos de pasta. A hierarquia das pastas que você adicionará é mostrada na figura “Elementos de um namespace” anteriormente neste guia.

Para criar uma pasta denominada Software no namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó \\servidor_ou_domínio\Public e clique em Nova Pasta.
  2. Na caixa Nome, digite Software e clique em OK.

Observe que o procedimento anterior cria uma nova pasta no namespace para aprofundar a hierarquia do namespace. Você não está especificando o nome de uma pasta existente, nem armazenará dados nessa pasta. Essa pasta não terá destinos que direcionam clientes a outros servidores.

Depois que você terminar esse procedimento, a pasta Software será adicionada à árvore de console conforme mostra a figura a seguir. (Talvez seja necessário clicar duas vezes na raiz \\servidor_ou_domínio\Public para exibir a pasta Software.

Imagem ArtEm seguida, adicione duas pastas com destinos ao namespace. Crie uma pasta denominada Tools na pasta Software e crie outra denominada Training Guides diretamente na raiz denominada Public.

Para criar uma pasta denominada Tools no namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse na pasta Software e clique em Nova Pasta.
  2. Em Nome, digite Tools.
  3. Clique em Adicionar para adicionar um destino de pasta.
  4. Clique em Procurar para abrir a caixa de diálogo Procurar Pastas Compartilhadas.
  5. Em Servidor, digite o nome do servidor que hospedará a pasta compartilhada Tools.
  6. Clique em Nova Pasta Compartilhada.
  7. Na caixa de diálogo Criar Compartilhamento, na caixa Nome do Compartilhamento, digite Tools e insira o caminho local em que você deseja que a pasta compartilhada seja criada. Se a pasta não existir, você receberá uma solicitação para criá-la. Clique em OK para fechar todas as caixas de diálogo.

Depois que você terminar esse procedimento, a pasta Tools será adicionada à árvore de console conforme mostrado na figura a seguir. (Talvez seja necessário clicar duas vezes na pasta Software para exibir a pasta Tools.) Observe o ícone ao lado da pasta Tools e como ele difere do ícone da pasta Software. Esse ícone aparece ao lado de todas as pastas que têm destinos para diferenciá-las das pastas que não têm.

Imagem ArtAgora, selecione a pasta Tools e examine o conteúdo da guia Destinos de Pasta no painel de detalhes. Observe que um único caminho é mostrado. Isso significa que somente um servidor hospeda o destino de pasta que corresponde à pasta Tools. Se esse servidor ficar indisponível, a pasta compartilhada também ficará indisponível.

Para aumentar a disponibilidade da pasta Tools, você pode adicionar um segundo destino de pasta.

Para adicionar um segundo destino de pasta à pasta Tools

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse na pasta Tools e clique em Adicionar Destino de Pasta.
  2. Clique em Procurar para abrir a caixa de diálogo Procurar Pastas Compartilhadas.
  3. Em Servidor, digite o nome de outro servidor que hospedará a pasta compartilhada Tools. Não se esqueça de especificar um servidor diferente daquele indicado no procedimento anterior.
  4. Clique em Nova Pasta Compartilhada.
  5. Na caixa de diálogo Criar Compartilhamento, na caixa Nome do Compartilhamento, digite Tools e insira o caminho local em que você deseja que a pasta compartilhada seja criada. Se a pasta não existir, você receberá uma solicitação para criá-la. Clique em OK para fechar todas as caixas de diálogo.
  6. Você receberá uma solicitação para indicar se deseja criar um grupo de replicação para esses destinos de pasta. Por enquanto, clique em Não. Você habilitará a Replicação DFS nessa pasta em uma tarefa posterior.

Para criar uma pasta denominada Training Guides no namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó \\servidor_ou_domínio\Public e clique em Nova Pasta.
  2. Em Nome, digite Training Guides.
  3. Clique em Adicionar para adicionar um destino de pasta.
  4. Clique em Procurar para abrir a caixa de diálogo Procurar Pastas Compartilhadas.
  5. Em Servidor, digite o nome do servidor que hospedará a pasta compartilhada Training Guides.
  6. Clique em Nova Pasta Compartilhada.
  7. Na caixa de diálogo Criar Compartilhamento, na caixa Nome do compartilhamento, digite Training Guides e insira o caminho local em que você deseja que a pasta compartilhada seja criada. Se a pasta não existir, você receberá uma solicitação para criá-la. Clique em OK para fechar todas as caixas de diálogo.

Quando você terminar esses procedimentos, o namespace se parecerá com a figura a seguir.

Imagem Art

Tarefa 5: Alterar o modo como os destinos são ordenados em Referências

Nesta tarefa, você alterará configurações que otimizam o modo como os destinos são ordenados em referências. Se você não estiver familiarizado com referências, uma referência é uma lista de destinos que um computador cliente recebe de um controlador de domínio ou servidor de namespaces quando o usuário acessa uma raiz de namespace ou pasta com destinos no namespace. A referência informa ao cliente quais servidores hospedam a pasta raiz associada ou o destino de pasta. Assim, por exemplo, quando um cliente navega até \\servidor_ou_domínio\Public, o cliente recebe uma referência de raiz que contém uma lista de destinos raiz em servidores de namespaces. Quando o cliente navega até a pasta Tools, que tem destinos de pasta, ele recebe uma referência de pasta que contém uma lista de destinos de pasta correspondentes à pasta Tools.

Quando um cliente solicita uma referência, o serviço DFS considera o site desse cliente e o site do destino e fornece uma referência com destinos ordenados de acordo com o método de ordenação de referência atual. Por padrão, os destinos no site de um cliente são os primeiros listados em uma referência de ordem aleatória, seguidos por uma lista dos destinos fora do site do cliente, classificados pelo custo mais baixo.

Para ajustar o modo como os destinos fora do site de um cliente são ordenados, você pode alterar o método de ordenação de todo um namespace ou de pastas individuais com destinos. Alterar o método de ordenação é uma consideração importante em namespaces cujos destinos abrangem sites. Por exemplo, pode haver situações em que você deseja impedir o cliente de acessar destinos fora de seu próprio site. Se esse for o caso, você poderá configurar a raiz ou a pasta do namespace com destinos para que os clientes recebam referências somente para destinos dentro de seu próprio site.

Para otimizar ainda mais o modo como os destinos são listados nas referências, você pode definir a prioridade do destino, que substitui o método de ordenação. Por exemplo, é possível identificar se um destino é sempre o primeiro ou o último em uma referência, independentemente do site do cliente ou pode especificar se um destino sempre é o primeiro ou o último dentre os destinos que têm o mesmo custo de conexão. Um cenário comum para o uso da prioridade de destino é quando há um servidor de “espera ativa” considerado o servidor de último recurso. Neste cenário, você pode especificar que o servidor de espera sempre aparecerá por último nas referências e o failover dos clientes somente será executado nesse servidor se todos os outros falharem ou ficarem indisponíveis devido a interrupções de rede.

Nos procedimentos a seguir, você verifica o método de ordenação de referência para o namespace e escolhe a prioridade de um destino de pasta.

Para verificar o método de ordenação de referência de um namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó \\servidor_ou_domínio\Public e clique em Propriedades.
  2. Na guia Referências, em Método de ordenação, verifique se a opção Custo mais baixo está selecionada.

No método de ordenação de custo mais baixo, também denominado seleção de destino mais barato ou de custo de site na documentação anterior, os destinos em uma referência são ordenados da seguinte forma:

  1.                   Os destinos no mesmo site que o cliente são listados em ordem aleatória na parte superior da referência.
  2.                   Os destinos fora do site do cliente são listados na ordem do menor para o maior custo. As referências com o mesmo custo são agrupadas juntas, e os destinos são listados em ordem aleatória dentro de cada grupo.

Esse método assegura que os clientes não atravessem links de WAN caros para acessar destinos quando há destinos de menor custo disponíveis. Esse método de ordenação funciona em namespaces autônomos e com base no domínio, desde que todos os servidores de namespaces e todos os controladores de domínio estejam executando o Windows Server 2003 ou o Windows Server 2008.

noteObservação
                Se você não quiser que os clientes acessem destinos de pasta fora de seu site, substitua o método de ordenação por pastas individuais. Para fazer isso, clique com o botão direito do mouse em uma pasta com destinos na árvore de console, clique em Propriedades, clique na guia Referências e clique em Excluir destinos fora do site do cliente. Observe que se não houver nenhum destino de mesmo site disponível, o cliente não poderá acessar a pasta porque nenhum destino de pasta será retornado na referência.

No procedimento a seguir, você altera a prioridade de um dos destinos de pasta para a pasta Tools.

Para alterar a prioridade de um destino de pasta

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique na pasta Tools.
  2. No painel de detalhes, na guia Destinos de Pasta, clique com o botão direito do mouse em um dos destinos de pasta e clique em Propriedades.
  3. Na guia Avançado, clique em Substituir ordenação de referências e em Último entre todos os destinos.

Tarefa 6: Renomear e mover uma pasta

Você pode usar o snap-in Gerenciamento DFS para renomear pastas ou movê-las para outro local no namespace. Isso será útil se for necessário alterar um nome de pasta ou estruturar o namespace novamente.

Nesta tarefa, você renomeia a pasta Training Guides como Training Demos e a transfere para a pasta Software. O namespace deve ser semelhante ao da figura a seguir.

Imagem Art

Para renomear a pasta Training Guides

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse na pasta Training Guides e clique em Renomear Pasta.
  2. Na caixa de diálogo Renomear Pasta, em Novo nome, digite Training Demos.

Para mover a pasta Training Demos

  • Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique na pasta Training Demos e arraste-a para a pasta Software.

Depois que você terminar esses procedimentos, o namespace deverá ficar parecido com este:

Imagem Art

Tarefa 7: Replicar uma pasta no namespace usando a Replicação DFS

Nesta tarefa, você habilita a Replicação DFS na pasta Tools. Na “Tarefa 4: Adicionar pastas ao namespace”, você criou dois destinos para a pasta Tools. Como os usuários podem ser direcionados para um dos destinos de pasta, é necessário assegurar que o conteúdo das pastas se mantenha sincronizado.

Se você está familiarizado com o FRS (Serviço de Replicação de Arquivos) no Windows Server 2003, sabe que esse serviço somente tem suporte em namespaces baseados no domínio. No Windows Server 2008, é possível usar a Replicação DFS em namespaces autônomos e baseados no domínio. Assim, você pode concluir essa tarefa independentemente do tipo de namespace criado na “Tarefa 1: Criar um namespace”.

ImportantImportante
                Para executar essa tarefa, você deve ter o AD DS implantado no ambiente do laboratório de teste e ser membro do grupo Admins. do Domínio ou ter recebido a capacidade de criar grupos de replicação.
ImportantImportante
                Após a conclusão da tarefa, a replicação não é iniciada imediatamente. As configurações da topologia e da Replicação DFS devem ser replicadas em todos os controladores de domínio e cada membro do grupo de replicação deve efetuar chamada seletiva no controlador de domínio mais próximo para obter essas configurações. A demora dependerá da latência de replicação no AD DS e do intervalo longo de chamada seletiva (60 minutos) em cada membro.

Para habilitar a Replicação DFS na pasta Tools

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse na pasta Tools e clique em Replicar Pasta.
  2. Siga as etapas no Assistente para Replicação de Pasta e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente para Replicação de Pasta                       O que inserir
Nome do Grupo de Replicação e da Pasta Replicada Aceite os padrões.
Qualificação da Replicação Aceite os padrões.
Membro Primário Se os destinos de pasta estiverem vazios, escolha um dos membros. Se os dois destinos de pasta tiverem conteúdo, escolha o membro com o conteúdo mais atualizado.
Seleção de Topologia Selecione Malha completa.
Agendamento e Largura de Banda do Grupo de Replicação Selecione Replicar continuamente usando a largura de banda especificada.
Revisar Configurações e Criar Grupo de Replicação Clique em Criar para criar o grupo de replicação.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.
Atraso na Replicação Clique em OK para fechar a caixa de diálogo que o avisa sobre o atraso na replicação inicial.

Após terminar o procedimento, navegue até o nó Replicação na árvore de console. Observe que um novo grupo de replicação foi criado, conforme mostra a figura a seguir.

Imagem ArtSe você não estiver familiarizado com a terminologia de Replicação DFS, um grupo de replicação é um conjunto de servidores, conhecidos como membros, que participa da replicação de uma ou mais pastas replicadas. Uma pasta replicada é a pasta que permanece sincronizada em cada membro. Quando você habilita a Replicação DFS em uma pasta com destinos, os servidores que hospedam os destinos de pasta se tornam membros do grupo de replicação e os destinos de pasta são associados à pasta replicada. O nome do grupo de replicação corresponde ao caminho do namespace (Contoso.com\Public\Software\Tools), e o nome da pasta replicada corresponde ao nome da pasta (Tools).

No modo Replicação, você pode gerenciar aspectos da Replicação DFS, como o agendamento e o uso da largura de banda, os filtros de arquivo e subpasta e a topologia (uma estrutura dos caminhos de replicação entre os membros). Na guia Pastas Replicadas no painel de detalhes, também é possível exibir o caminho do namespace que corresponde à pasta replicada, conforme mostra a figura a seguir.

Imagem ArtSe você navegar novamente até a pasta Tools no nó Namespaces, observe que a guia Replicação no painel de detalhes mostra que a pasta Tools está sendo replicada com o uso da Replicação DFS.

Imagem ArtSe um dos destinos de pasta continha dados quando você habilitou a Replicação DFS, verifique se a replicação foi concluída clicando na guia Destinos de Pasta, clicando com o botão direito do mouse no destino de pasta que inicialmente não tinha dados e clicando em Abrir no Explorer. Após o atraso inicial da replicação, os arquivos nesse destino de pasta devem corresponder aos arquivos no destino que inicialmente continha os dados.

Outra maneira de exibir o status da replicação é criar um relatório de diagnóstico. Você fará isso na tarefa a seguir.

Tarefa 8: Criar um relatório de diagnóstico

Nesta tarefa, você criará um relatório de diagnóstico para verificar o status da replicação. O relatório de diagnóstico criado nesta tarefa é o relatório de integridade. O relatório de integridade é um arquivo .html que indica a integridade e a eficiência da replicação. Esse relatório inclui eventos de erro e aviso, estatísticas de replicação, arquivos com listas de pendências e outras informações para cada membro do grupo de replicação.

Para criar um relatório de diagnóstico

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, no nó Replicação, clique com o botão direito do mouse no grupo de replicação domínio\Public\Software\Tools e clique em Criar Relatório Diagnóstico.
  2. Siga as etapas no Assistente de Relatório de Diagnóstico e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Relatório de Diagnóstico                       O que inserir
Tipo de Relatório ou Teste de Diagnóstico Aceite os padrões.
Caminho e Nome Aceite os padrões.
Membros a Serem Incluídos Aceite os padrões.
Opções Verifique se a opção Sim, contar arquivos de registro posterior neste relatório está selecionada, selecione o servidor que tem os arquivos mais atualizados em Membro de Referência e marque a caixa de seleção Contar os arquivos replicados e seus tamanhos em cada membro.
Revisar Configurações e Criar Relatório Clique em Criar para criar o relatório de diagnóstico.
Confirmação O assistente é fechado automaticamente e o relatório de diagnóstico é exibido.

Examine o relatório de integridade criado para o grupo de replicação Tools. Em particular, dê uma olhada nestas seções:

  •                   Observe a economia de largura de banda de Replicação DFS. Essa economia será alterada à medida que os arquivos forem adicionados e alterados.
  •                   Examine os erros e os avisos dos membros, se houver. Geralmente eles são erros que aparecem no respectivo log de eventos de Replicação DFS do membro.
  •                   Na seção de informações de cada membro, examine o status da pasta replicada (o status será “Normal” após a conclusão da replicação inicial) e outras informações. Observe que o membro primário mostrará estatísticas diferentes das do membro não primário; isso ocorre porque os dados originaram-se no membro primário e foram replicados no não primário durante a replicação inicial.

O Assistente de Relatório de Diagnóstico cria o relatório de integridade por padrão. Observe que você pode definir o assistente para executar estas operações também:

  •                   Executar um teste de propagação.
  •                   Criar um relatório de propagação.

Um teste de propagação mede o andamento da replicação criando um arquivo de teste em uma pasta replicada. Um relatório de propagação fornece informações sobre o andamento da replicação do arquivo de teste criado durante um teste de propagação.

Tarefa 9: Navegar no namespace

Nesta tarefa, você navegará no namespace criado e exibirá as referências no cache de referência do cliente à medida que navega em partes do namespace. A exibição de referências no cache do cliente é útil em cenários de solução de problemas. Os procedimentos a seguir pressupõem que você está executando essas tarefas em um computador cliente com Windows XP ou Windows Server 2003.

Para navegar na raiz do namespace e exibir a referência de raiz

  1. Clique em Iniciar, em Executar, digite \\servidor_ou_domínio\Public e clique em OK.O Windows Explorer é aberto e sua exibição do namespace é semelhante à seguinte:

    Imagem Art

  2. No Windows Explorer, clique no botão Pastas para exibir a raiz Public na árvore de pastas.
  3. Na árvore de pastas, clique com o botão direito do mouse em Public e clique em Propriedades para abrir a caixa de diálogo Propriedades.
  4. Na guia DFS, examine os caminhos listados em Lista de referências. Esses são os destinos de pasta na referência de raiz que o cliente recebeu quando acessou \\servidor_ou_domínio\Public. Eles devem corresponder aos destinos de raiz criados anteriormente neste guia. O destino marcado como Ativo é o destino atualmente conectado ao computador cliente.
  5. Clique em OK para fechar a caixa de diálogo.

Para navegar até as pastas Tools e Training Demos e exibir suas referências de pastas

  1. No Windows Explorer, clique duas vezes na pasta Software. Você deverá ver estas duas pastas: Tools e Training Demos.
  2. Clique duas vezes na pasta Tools para abri-la.
  3. Na árvore de console, clique com o botão direito do mouse na pasta Tools e clique em Propriedades.
  4. Na guia DFS, examine os caminhos listados em Lista de referências. Esses são os destinos de pasta na referência de pasta que o cliente recebeu quando acessou \\servidor_ou_domínio\Public\Software\Tools. Eles devem corresponder aos destinos de pasta criados anteriormente neste guia. O destino marcado como Ativo é o destino atualmente conectado ao computador cliente, que deve ser diferente daquele marcado como Último entre todos os destinos quando você define a prioridade de destino.
  5. Clique em OK para fechar a caixa de diálogo.
  6. Clique na pasta Training Demos na árvore de pastas para abri-la.
  7. Clique com o botão direito do mouse na pasta Training Demos na árvore de pastas, clique em Propriedades e na guia DFS. Observe que apenas um destino de pasta aparece na lista de referências. O computador cliente está atualmente conectado a esse destino de pasta.

Tarefa 10: Failover de teste

Nesta tarefa, desabilite a placa de rede ou desative o servidor que hospeda um dos destinos de raiz do namespace \\domínio\Public. Faça o mesmo para um servidor que hospeda um dos destinos da pasta Tools. Depois que as placas de rede forem desabilitadas ou os servidores forem desativados, repita os procedimentos na “Tarefa 9: Navegar no namespace”. Os procedimentos deverão funcionar porque outro servidor continua hospedando o namespace \\domínio\Public e a pasta Tools.

Guia Passo a Passo para Implantar a Replicação DFS

Esta seção o orienta durante o processo de implantação da Replicação DFS em um laboratório de teste. Embora não seja necessário ter concluído as tarefas no “Guia Passo a Passo para Implantar um Namespace”, é útil completar a seção anterior primeiro para que você tenha um namespace no qual publicar uma pasta replicada.

Introdução à Replicação DFS

A Replicação DFS é o mecanismo de replicação de vários mestres baseado em estado no Windows Server 2008. Embora alguns conceitos e processos da Replicação DFS sejam semelhantes aos do FRS, há várias diferenças importantes que você deve conhecer antes de implantar a Replicação DFS.

Conceitos da Replicação DFS

Primeiro, vamos examinar os conceitos básicos da Replicação DFS. Esses conceitos — grupos de replicação, conexões, membros e pastas replicadas — são demonstrados na figura a seguir.

Imagem ArtComo a figura mostra, um grupo de replicação é um conjunto de servidores conhecidos como membros, que participa na replicação de uma ou mais pastas replicadas. Uma pasta replicada é a pasta que permanece sincronizada em cada membro. Na figura anterior, há duas pastas replicadas: Projects e Proposals. À medida que os dados são alterados em cada pasta replicada, as alterações são replicadas nas conexões entre os membros. As conexões entre todos os membros formam a topologia da replicação.

A criação de várias pastas replicadas em um único grupo de replicação simplifica o processo de implantação de pastas replicadas porque a topologia, o agendamento e a aceleração da largura de banda do grupo de replicação são aplicados a cada pasta replicada. Para implantar mais pastas replicadas, use um assistente rápido para definir o caminho local e as permissões da nova pasta replicada. Cada pasta replicada também tem suas próprias configurações, como filtros de arquivo e subpasta, para que você possa filtrar diferentes arquivos e subpastas em cada pasta replicada.

As pastas replicadas armazenadas em cada membro podem ser localizadas em volumes diferentes no membro, e as pastas replicadas não precisam ser pastas compartilhadas ou fazer parte de um namespace, embora o snap-in Gerenciamento DFS facilite o compartilhamento das pastas replicadas e sua publicação opcional em um namespace existente. Você executará as duas operações em uma das tarefas posteriores deste guia.

Para obter mais informações sobre a Replicação DFS, consulte as perguntas freqüentes sobre replicação do sistema de arquivos distribuídos no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=93056 (essa página pode estar em inglês). Essas perguntas enfatizam as dúvidas relacionadas à Replicação DFS no Windows Server 2003 R2, mas a maioria das informações também se aplica ao Windows Server 2008.

O que esperar durante a replicação inicial

Ao configurar a replicação pela primeira vez, você deve escolher um membro primário. Escolha o membro que possui os arquivos mais atualizados que você deseja replicar em todos os outros membros do grupo de replicação porque o conteúdo do membro primário é considerado “autoritativo”. Isso significa que durante a replicação inicial, os arquivos do membro primário sempre vencerão os conflitos que ocorrem quando os membros de recebimento possuem arquivos que são mais antigos ou mais novos do que os mesmos arquivos do membro primário.

As seguintes explicações facilitarão a compreensão do processo de replicação inicial:

  •                   A replicação inicial não é iniciada imediatamente. As configurações da topologia e da Replicação DFS devem ser replicadas em todos os controladores de domínio, e cada membro do grupo de replicação deve efetuar chamada seletiva no controlador de domínio mais próximo para obter essas configurações. A demora dependerá da latência de replicação no AD DS e do intervalo longo de chamada seletiva (60 minutos) em cada membro.
  •                   A replicação inicial sempre ocorre entre o membro primário e os parceiros de recebimento da replicação do membro primário. Depois que um membro tiver recebido todos os arquivos do membro primário, esse membro replicará os arquivos para os parceiros de recebimento. Dessa forma, a replicação de uma nova pasta replicada inicia no membro primário e continua em todos os outros membros do grupo de replicação.
  •                   Ao receber arquivos do membro primário durante a replicação inicial, os membros receptores que contêm os arquivos que não estão presentes no membro primário movem esses arquivos para a respectiva pasta DfsrPrivate\PreExisting. Se um arquivo for idêntico a outro no membro primário, ele não será replicado. Se a versão de um arquivo no membro de recebimento for diferente da versão do membro primário, a versão do membro de recebimento será movida para a pasta de arquivos em conflito e excluída e a RDC (Compactação Diferencial Remota) poderá ser usada para baixar somente dos blocos alterados.
  •                   Para determinar se os arquivos são idênticos no membro primário e no membro de recebimento, a Replicação DFS compara os arquivos usando um algoritmo de hash. Se os arquivos forem idênticos, somente os metadados mínimos serão transferidos.
  •                   Após a inicialização da pasta replicada, a designação “membro primário” será removida. A inicialização ocorre depois que todos os arquivos existentes antes de a Replicação DFS coletar a configuração são adicionados ao banco de dados de Replicação DFS. O membro que anteriormente era o membro primário é tratado como qualquer outro membro e seus arquivos não são mais considerados autoritativos em relação aos outros membros que concluíram a replicação inicial. Qualquer membro que tenha concluído a replicação inicial será considerado autoritativo em relação aos que não a tenham concluído.

Implantando a Replicação DFS

As tarefas nesta seção o orientam durante o processo de implantar a Replicação DFS, adicionar um membro a um grupo de replicação, publicar uma pasta replicada em um namespace e criar um relatório de diagnóstico.

Tarefa 1: Criar um grupo de replicação multiuso e duas pastas replicadas

Para habilitar a Replicação DFS, use o Assistente de Novo Grupo de Replicação para especificar os membros, a topologia e o agendamento padrão e a largura de banda do grupo de replicação. Nesta tarefa, você cria um grupo de replicação denominado Data Distribution e duas pastas de replicação denominadas Antivirus Signatures e LOB Data.

ImportantImportante
                Quando você cria um novo grupo de replicação, a replicação não é iniciada imediatamente. As configurações da topologia e da Replicação DFS devem ser replicadas em todos os controladores de domínio, e cada membro do grupo de replicação deve efetuar chamada seletiva no controlador de domínio mais próximo para obter essas configurações. O tempo necessário para isso dependerá da latência de replicação no AD DS e do intervalo de chamada seletiva longo de cada membro (60 minutos).

Antes de habilitar a replicação, você criará duas pastas em um dos servidores para serem adicionadas ao grupo de replicação. Em seguida, adicione arquivos às pastas.

Criar pastas denominadas Antivirus Signatures e LOB Data

  1. Em um servidor, crie duas pastas separadas (não sobrepostas) denominadas Antivirus Signatures e LOB Data.
  2. Adicione alguns arquivos a cada pasta, mas não exceda os limites recomendados no tópico sobre as diretrizes de escalabilidade da Replicação DFS no site da Microsoft (http://go.microsoft.com/fwlink/?LinkId=75043 (essa página pode estar em inglês).
  3. Se desejar, crie as mesmas pastas no segundo servidor. É possível adicionar os mesmos arquivos ou arquivos diferentes do membro primário. Se você adicionar os mesmos arquivos, eles serão usados para preparação prévia e não serão replicados novamente. Se você adicionar arquivos que não existem no membro primário, eles serão movidos para a pasta PreExisting no segundo membro. (Essa pasta está na pasta DfsrPrivate no caminho local da pasta replicada.) Para observar o modo como o conteúdo do membro primário se torna autoritativo durante a replicação inicial, use versões atualizadas dos arquivos adicionados ao membro primário. Esses arquivos atualizados serão movidos para a pasta Conflict and Deleted nos membros não primários.

Em seguida, crie um grupo de replicação para replicar arquivos entre os dois servidores.

Para criar um grupo de replicação e duas pastas replicadas

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó Replicação e clique em Novo Grupo de Replicação.
  2. Siga as etapas no Assistente de Novo Grupo de Replicação e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Novo Grupo de Replicação                       O que inserir
Tipo de Grupo de Replicação Selecione Grupo de replicação multiuso.
Nome e Domínio Em Nome do grupo de replicação, digite Distribuição de Dados.
Membros do Grupo de Replicação Clique em Adicionar para selecionar pelo menos dois servidores que participarão da replicação. Os servidores devem ter o Serviço de Replicação DFS instalado.
Seleção de Topologia Selecione Malha completa.
Agendamento e Largura de Banda do Grupo de Replicação Selecione Replicar continuamente usando a largura de banda especificada.
Membro Primário Selecione o membro com o conteúdo mais atualizado que você deseja replicar no outro membro.
Pastas a Serem Replicadas Clique em Adicionar para inserir o caminho local da pasta LOB Data criada anteriormente no primeiro servidor. Use o nome LOB Data como o nome da pasta replicada. Repita esse procedimento e insira o caminho local da pasta Antivirus Signatures.
Caminho Local de LOB Data em Outros Membros Nesta página, especifique o local da pasta LOB Data nos outros membros do grupo de replicação. Para especificar o caminho, clique em Editar e, na caixa de diálogo Editar, clique em Habilitado e digite o caminho local da pasta LOB Data.
Caminho Local de Antivirus Signatures em Outros Membros Nesta página, especifique o local da pasta Antivirus Signatures nos outros membros do grupo de replicação. Para especificar o caminho, clique em Editar e, na caixa de diálogo Editar, clique em Habilitado e digite o caminho local da pasta Antivirus Signatures.
Revisar Configurações e Criar Grupo de Replicação Clique em Criar para criar o grupo de replicação.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.
Atraso na Replicação Clique em OK para fechar a caixa de diálogo que o avisa sobre o atraso na replicação inicial.

Depois que você concluir o Assistente de Novo Grupo de Replicação, clique no novo grupo de replicação denominado Distribuição de Dados localizado no nó Replicação na árvore de console conforme mostra a seguinte figura:

Imagem ArtObserve as quatro guias no painel de detalhes: Associações, Conexões, Pastas Replicadas e Delegação. Cada uma dessas guias exibe detalhes diferentes sobre o grupo de replicação selecionado, seus membros e suas pastas replicadas. Examine os detalhes a seguir sobre cada guia.

  •                   Na guia Associações, observe que as entradas na guia são classificadas por pasta replicada e que há duas pastas replicadas na lista. Por exemplo, as linhas no cabeçalho Pasta Replicada: Antivirus Signatures são membros que hospedam a pasta replicada Antivirus Signatures. Clique duas vezes em um membro para exibir as propriedades por membro e por pasta replicada nas guias Geral, Pasta Replicada, Preparação e Avançado. Por exemplo, na guia Avançado, você pode examinar o local e o tamanho da pasta de preparo e da pasta Conflict and Deleted no membro selecionado.
  •                   Na guia Conexões, duas conexões são listadas. Cada uma delas é um caminho de replicação unidirecional, de modo que a replicação entre dois membros requer duas conexões que replicam dados na direção oposta. Cada conexão tem um agendamento e outras configurações, como uma caixa de seleção para habilitar ou desabilitar a RDC (compactação diferencial remota). Clique duas vezes em uma conexão para exibir suas configurações.
  •                   Na guia Pastas Replicadas, observe que há duas pastas replicadas listadas e que não são publicadas em um namespace. Clique duas vezes em uma pasta replicada para exibir suas propriedades, como filtros de arquivo e subpasta.
  •                   Na guia Delegação, examine os usuários e grupos padrão que receberam permissões para gerenciar o grupo de replicação. Os usuários ou grupos que aparecem como “Herdados” têm permissões de gerenciamento herdadas do AD DS e não é possível removê-los da lista de delegação usando o snap-in Gerenciamento DFS.

Tarefa 2: Adicionar um novo membro a um grupo de replicação

Nesta tarefa, você adiciona um terceiro servidor ao grupo de replicação Distribuição de Dados e especifica onde uma das duas pastas replicadas, Antivirus Signatures, será armazenada no novo membro. Você usará um novo recurso na Replicação DFS para especificar que a pasta replicada LOB Data não é replicada no novo membro. Também criará um agendamento personalizado aplicável apenas às conexões de entrada e saída do novo membro.

ImportantImportante
                A replicação não é iniciada imediatamente no novo membro. As configurações da Replicação DFS do novo membro devem ser replicadas em todos os controladores de domínio e cada membro do grupo de replicação deve sondar seu controlador de domínio mais próximo para obter essas configurações. O tempo necessário para isso depende da latência de replicação do AD DS, do intervalo de chamada seletiva curta (5 minutos) no novo membro e do intervalo de chamada seletiva longa (60 minutos) nos membros existentes.

Para adicionar um novo membro ao grupo de replicação Distribuição de Dados

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no grupo de replicação Distribuição de Dados e clique em Novo Membro.
  2. Siga as etapas no Assistente de Novo Membro e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Novo Membro                       O que inserir
Novo Membro Insira o nome do servidor para adicionar ao grupo de replicação. O servidor deve ter o Serviço de Replicação DFS instalado.
Conexões Em Membros disponíveis, clique em um membro e em Adicionar. Repita essa etapa para adicionar o segundo membro. O novo membro será replicado diretamente com os dois membros existentes.
Agendamento da Replicação Selecione Agendamento de conexão personalizado e clique em Editar Agendamento. Na caixa de diálogo Editar Agendamento, clique em Detalhes para expandir o agendamento, selecione a entrada que começa com Domingo 00:00 e clique em Editar. Na caixa de diálogo Editar Agendamento, em Uso da largura de banda, clique em 128 Mbps.
Caminho Local das Pastas Replicadas Selecione a pasta replicada Antivirus Signatures, clique em Editar, clique em Habilitado e insira o caminho local da pasta replicada a ser criada no novo membro. Quando fechar a caixa de diálogo Editar Caminho Local, observe que a pasta replicada LOB Data mostra <Desabilitado>, o que significa que essa pasta replicada não será replicada no novo membro. Como você deseja que apenas a pasta Antivirus Signatures seja replicada no novo membro, pode ignorar a mensagem de aviso exibida.
Revisar Configurações e Criar Membro Clique em Criar para adicionar o novo membro ao grupo de replicação Distribuição de Dados.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.
Atraso na Replicação Clique em OK para fechar a caixa de diálogo que o avisa sobre o atraso na replicação inicial.

Após concluir o assistente, clique em Distribuição de Dados na árvore de console e examine o conteúdo da guia Conexões. Ele deve ser parecido com a seguinte figura:

Imagem ArtObserve que, na coluna Tipo de Agendamento, as conexões de entrada e saída do novo membro mostram Agendamento de Conexão Personalizado, em vez de Agendamento do Grupo de Replicação. Elas mostram Agendamento de Conexão Personalizado porque você escolheu um agendamento personalizado ao adicionar o novo membro. A criação de agendamentos personalizados para conexões individuais lhe permite ajustar o intervalo de replicação e a largura de banda usados durante a replicação para membros específicos. Embora isso não seja óbvio na interface de usuário, cada conexão marcada como Agendamento de Conexão Personalizado é um agendamento separado. Você pode modificar um agendamento marcado como Agendamento de Conexão Personalizado, mas os outros agendamentos personalizados não são afetados.

noteObservação
                Para alterar o modo como os itens são agrupados, clique no cabeçalho de uma coluna. Por exemplo, para agrupar os itens por tipo de agendamento, clique no cabeçalho Tipo de Agendamento.

As entradas marcadas como Agendamento do Grupo de Replicação usam o agendamento de replicação padrão; esse agendamento é aplicado a todas as conexões no grupo de replicação que não têm um agendamento personalizado. Para modificar o agendamento de replicação padrão, clique com o botão direito do mouse no grupo de replicação Distribuição de Dados na árvore de console, clique em Propriedades e em Editar Agendamento. Para alterar um agendamento de conexão personalizado para um de replicação ou vice-versa, na guia Conexões, no painel de detalhes, clique duas vezes na conexão, clique na guia Agendamento e clique em Agendamento do grupo de replicação ou Agendamento de conexão personalizado.

Tarefa 3: Compartilhar e publicar pastas replicadas em um namespace

Ao criar pastas replicadas nas tarefas anteriores, você especificou o caminho local de uma pasta em cada membro do grupo de replicação. A menos que o caminho local em cada servidor tenha sido compartilhado previamente, os usuários não poderão acessar as pastas replicadas após sua criação. Para tornar as pastas replicadas disponíveis para os usuários, você deve compartilhá-las e, se desejar, publicá-las em um namespace existente.

Nesta tarefa, você publica a pasta replicada LOB Data no namespace \\servidor_ou_domínio\Public que criou na seção passo a passo Namespaces DFS. Caso você não tenha concluído a seção passo a passo anterior ou não tenha um namespace no seu laboratório de teste, ignore esse procedimento.

Para compartilhar a pasta replicada LOB Data e publicá-la em um namespace

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, no nó Replicação, clique no grupo de replicação Distribuição de Dados.
  2. No painel de detalhes, clique na guia Pastas Replicadas, clique com o botão direito do mouse na pasta replicada LOB Data e clique em Compartilhar e Publicar no Namespace.
  3. Siga as etapas no Assistente de Compartilhamento e Publicação de Pastas Replicadas e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Compartilhamento e Publicação de Pastas Replicadas                       O que inserir
Método de Publicação Selecione Compartilhar e publicar a pasta replicada em um namespace.
Compartilhar Pastas Replicadas Para cada membro que mostra [Pasta Compartilhada Necessária] na coluna Ação, selecione o membro e clique em Editar para criar a nova pasta compartilhada e ajustar as permissões de pasta compartilhada, se necessário. Se a coluna Ação mostrar Criar pasta compartilhada: LOB Data ou Pasta Compartilhada Existente, clique em Avançar.
Caminho do Namespace Em Pasta pai no namespace, digite \\servidor_ou_domínio\Public\Software.
Revisar Configurações e Compartilhar Pasta Replicada Clique em Compartilhar para compartilhar as pastas replicadas e publicar a pasta replicada LOB Data no namespace.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.

Após iniciar o assistente, examine a árvore de console e a guia Pastas Replicadas no painel de detalhes. Primeiro, observe na árvore de console que uma pasta LOB Data foi adicionada ao namespace e o ícone de pasta indica que ela é replicada, conforme mostra a figura a seguir.

Imagem ArtEm seguida, examine o caminho do namespace listado na guia Pastas Replicadas, que deve ser semelhante ao da figura a seguir.

Imagem ArtVocê pode observar que a pasta replicada LOB Data é publicada em um namespace, mas a pasta replicada Antivirus Signatures não é. Para acessar a pasta LOB Data no namespace, na caixa de diálogo Executar, digite \\servidor_ou_domínio\Public\Software\LOB Data.

noteObservação
                Se você quiser interromper a publicação da pasta replicada LOB Data no namespace, clique com o botão direito do mouse na pasta replicada e clique em Remover do Namespace.

Tarefa 4: Criar um grupo de replicação para fins de coleta

Nesta tarefa, vamos supor que você tem um servidor de hub em um hub central ou local central de dados e um servidor de ramificação em um escritório remoto. O servidor de ramificação contém pastas denominadas Projects e Proposals que são muito importantes para a filial, mas há uma preocupação de que os backups executados na filial sejam feitos de modo incorreto. Se desejar, faça backup das pastas Projects e Proposals do centro de dados para assegurar que os backups sejam bem-sucedidos.

Para alcançar essa meta, configure um grupo de replicação para fins de coleta de dados. Esse tipo de grupo de replicação consiste em dois membros e uma pasta replicada para cada pasta que você deseja incluir no backup do servidor de hub no centro de dados. As permissões definidas nas pastas replicadas na filial serão aplicadas às pastas replicadas no servidor de hub. Especifique uma única pasta no servidor de hub na qual as subpastas das pastas replicadas serão criadas. Isso lhe permite fazer backup de várias pastas replicadas de um único local no servidor de hub.

ImportantImportante
                Quando você cria um novo grupo de replicação, a replicação não é iniciada imediatamente. As configurações da topologia e da Replicação DFS devem ser replicadas em todos os controladores de domínio, e cada membro do grupo de replicação deve efetuar chamada seletiva no controlador de domínio mais próximo para obter essas configurações. O tempo necessário para isso dependerá da latência de replicação no AD DS e do intervalo de chamada seletiva longo de cada membro (60 minutos).

Para criar um grupo de replicação para replicar as pastas Projects e Proposals de um servidor de ramificação em um servidor de hub

  1. No Windows Explorer ou no prompt de comando, crie uma pasta denominada Projects e outra denominada Proposals em um servidor que atuará como o servidor de ramificação. As pastas deverão ser separadas (isto é, não aninhadas uma na outra).
  2. Adicione alguns arquivos às pastas Projects e Proposals no servidor de ramificação.
  3. No Windows Explorer ou no prompt de comando, crie uma pasta denominada Branch_Backups em um servidor que atuará como o servidor de hub. Não coloque dados nessa pasta.
  4. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, clique com o botão direito do mouse no nó Replicação e clique em Novo Grupo de Replicação.
  5. Siga as etapas no Assistente de Novo Grupo de Replicação e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Novo Grupo de Replicação                       O que inserir
Tipo de Grupo de Replicação Selecione Grupo de replicação para coleta de dados.
Nome e Domínio Em Nome do grupo de replicação, digite Backups de Filial.
Servidor de Ramificação Digite o nome de um servidor que atuará como o servidor de ramificação.
Pastas Replicadas Clique em Adicionar. Na caixa de diálogo Adicionar Pasta a Ser Replicada, digite o caminho local da pasta Projects criada na Etapa 1. Repita esse procedimento para o caminho local da pasta Proposals.
Servidor de Hub Digite o nome de um servidor que atuará como o servidor de hub. Esse é o servidor no qual você pode fazer backup das pastas Projects e Proposals usando software de backup.
Pasta de Destino no Servidor de Hub Em Pasta de destino, digite o caminho da pasta criada na Etapa 3.
Agendamento e Largura de Banda do Grupo de Replicação Selecione Replicar continuamente usando a largura de banda especificada.
Revisar Configurações e Criar Grupo de Replicação. Clique em Criar para criar o grupo de replicação.
Confirmação Clique em Fechar para fechar o assistente.
Atraso na Replicação Clique em OK para fechar a caixa de diálogo que o avisa sobre o atraso na replicação inicial.

Após concluir o assistente, clique no grupo de replicação Backups de Filial na árvore de console e exiba a guia Associações no painel de detalhes. Observe que duas pastas replicadas foram criadas, Projects e Proposals, conforme mostra a seguinte figura:

Imagem ArtNa figura anterior, observe que o caminho das pastas replicadas Projects e Proposals no servidor BO-08 (o servidor de hub) está na pasta C:\Branch_Backups. Isso lhe permite fazer backup das duas pastas replicadas de um único local no hub.

Tarefa 5: Criar um relatório de diagnóstico

Nesta tarefa, você criará um relatório de diagnóstico para verificar o status da replicação. O relatório de diagnóstico criado nesta tarefa é o relatório de integridade. O relatório de integridade é um arquivo .html que indica a integridade e a eficiência da replicação. Esse relatório inclui eventos de erro e aviso, estatísticas de replicação, arquivos com listas de pendências e outros itens para cada membro do grupo de replicação.

Para criar um relatório de diagnóstico

  1. Na árvore de console do snap-in Gerenciamento DFS, no nó Replicação, clique com o botão direito do mouse no grupo de replicação Backups de Filial e clique em Criar Relatório Diagnóstico.
  2. Siga as etapas no Assistente de Relatório de Diagnóstico e forneça as informações descritas na tabela a seguir.

                      Página Assistente de Relatório de Diagnóstico                       O que inserir
Tipo de Relatório ou Teste de Diagnóstico Aceite os padrões.
Caminho e Nome Aceite os padrões.
Membros a Serem Incluídos Aceite os padrões.
Opções Verifique se a opção Sim, contar arquivos de registro posterior neste relatório está selecionada, selecione o servidor que tem os arquivos mais atualizados em Membro de Referência e marque a caixa de seleção Contar os arquivos replicados e seus tamanhos em cada membro.
Revisar Configurações e Criar Relatório Clique em Criar para criar o relatório de diagnóstico.
Confirmação O assistente é fechado automaticamente e o relatório de diagnóstico é exibido.

Examine o relatório de integridade criado para o grupo de replicação Backups de Filial. Em particular, dê uma olhada nestas seções:

  •                   Observe a economia de largura de banda de Replicação DFS. Essa economia será alterada à medida que os arquivos forem adicionados e alterados.
  •                   Examine os erros e os avisos dos membros, se houver. Geralmente eles são erros que aparecem no respectivo log de eventos de Replicação DFS do membro.
  •                   Na seção de informações de cada membro, examine o status da pasta replicada (o status será “Normal” após a conclusão da replicação inicial) e outras informações. Observe que o membro primário mostrará estatísticas diferentes das do membro não primário; isso ocorre porque os dados originaram-se no membro primário e foram replicados no não primário durante a replicação inicial.

O Assistente de Relatório de Diagnóstico cria o relatório de integridade por padrão. Observe que você também pode definir o assistente para executar estas operações:

  •                   Executar um teste de propagação.
  •                   Criar um relatório de propagação.

Um teste de propagação mede o andamento da replicação criando um arquivo de teste em uma pasta replicada. Um relatório de propagação fornece informações sobre o andamento da replicação do arquivo de teste criado durante um teste de propagação.

Mais informações sobre o DFS você encontra aqui

http://blogs.technet.com/b/josebda/archive/2009/03/09/the-basics-of-the-windows-server-2008-distributed-file-system-dfs.aspx

[ ]s

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s